sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Lerê, lerê...


"Zumbi, comandante guerreiro
Ogunhê, ferreiro-mor capitão
Da capitania da minha cabeça
Mandai a alforria pro meu coração" [Letra da música 'Zumbi' - Gilberto Gil]


20 de Novembro, Dia da Consciência Negra. Muita celebração, manifestações da cultura africana. Tudo muito lindo e muito bacana, mas não é o suficiente.
Acho muito legal toda essa manifestação e exaltação a cultura negra, mas não me desce muito fácil na garganta e tão pouco fico exultante de alegria.

A história está repleta de heróis como Zumbi, Mandela, Malcom X, João Cândido ( O Almirante Negro), Luther King, Obama (o mais recente) entre tantos outros negros que não tem tanto destaque, mas que dão, e deram seu sangue para construir uma história de busca ao sonho de liberdade e ter um lugar ao sol mesclada com a intolerância de uma suposta raça superior, segregação e apartamento.
O dia 20 de Novembro, pra mim, marca mais pela falsa moralidade desse país, que é lindo, mas também super incoerente e que não aprende a viver com sua bela diversidade.
Essas comemorações não cerram meus olhos pra o que realmente acontece depois de todo esse aparato. Talvez muitos de vocês discordem de mim por essas palavras. Mas é o que eu penso, sinto e reporto a vocês.
Somos esculachados o ano inteiro por pessoas que ainda cismam em conservar um sentimento aversivo de séculos e séculos atrás. É vergonhoso ver que depois de tantos anos o racismo ainda é muito forte. Somos marginalizados todo o tempo por uma polícia que se comporta como gato escaldado quando vê uma pele chocolate.
O Dia da Consciência Negra devia se chamar: Dia da Consciência Nacional. Parece até coisa pra inglês ver. Quem conhece e saca o mínimo de história sabe que muito do que foi feito em "favor" do negro, não passava de balela pra amansar cachorro bravo.

Na semana que antecede as celebrações, até a mídia se comporta diferente. É comercial com negros pra cá, um destaque a outro negro pra lá, e eu pergunto: E depois? Isso tudo é muito pouco. Até quando vão semear migalhas de respeito por nossa cultura. É! Nossa cultura, pois ninguém aqui é ariano, nórdico ou coisa semelhante.Isso tudo me lembra os tempos da escravidão onde senhores feudais e coronéis davam agrediam com chibatas e em alguns dados momentos afagavam os escravos.

Essa é a minha Conciência Negra!

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Meu amor!

    Tão triste quanto isso, ou pior até, e o preconceito de uma pessoa (seja pela cor de pele, estatura, tipo físico, deficiência física) contra ele mesmo.

    Se nos colocarmos acima disso, nada que pensam ou tentem fazer de nós, terá efeito!
    Claro que não é fácil, eu sofro com meu próprio preconceito...
    *********************************************

    E sobre casamento....
    Ah, olha que é sério hein!! kkkkkkkkkkkkkkk


    Beijossssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  3. Pois é,
    Até quando seremos avaliados pela cor de nossa pele? Principalmente em um país onde o correto é ter a pele escura. Revoltante.

    Abraço!
    Bom final de semana.

    ResponderExcluir
  4. Wagner
    Eu concordo direitinho com voce. Aqui em Minas não é feriado nacional, mas as escolas são obrigadas a fazer um rebu sobre isto. O ano passado eu ajudei. Elaboramos um planejamento lindo! Cheio de história. Cheia de poesia, Cheio de teatro.
    E no fim?
    Meus aluninhos ainda sentiam na pele a discriminação. Não só pela cor, mas por morarem na roça. Apesar da gente falar mais , conversar mais sobre a importancia tanto de um aspecto quanto de outro.
    E eu conto que no meu primeiro anode professora desafiei a minha diretora.
    Ela me pediu que eu fizesse o auditorio, mas que queria as crianças claras e de olho azul.
    Eu fiz o contrario. E a criança se saiu super bem. Mas ela foi me perguntar porque eu não tinha colocado a outra menina.
    Eu disse que eu gostava era dos feinhos mesmos. Ela ficou sem graça!
    Com muito carinho
    sua amiga
    feinha Monica

    ResponderExcluir
  5. VAGNER
    Já ri muito..rs
    A campainha tocando, Letícia querendo lanchinho, perdi meu óculos rs fiz uma bagunça danada kkkk
    Arrumei, vê se ficou bom agora.
    Estou esperando o retorno ok?
    **************************
    Quanto o Dia da Consciência Negra, sinceramante eu não entendo a necessidade desse dia, somos todos iguais e a nossa raça é humana!
    Beijões de Gê

    ResponderExcluir
  6. Vagner
    Eu mesma sofro com a cor da minha pele que é branca demais.
    Se coloco uma roupa mais curtas, algumas pessoas olham com um ar debochado, geralmente são pessoas morenas ou negras que fazem isso.

    Quase apanhei no Rio uma vez, me chamaram de azeda e eu não gostei, por causa da minha cara queriam partir para cima, eram duas fankeiras de pele escura.
    Na praia me confundem com gringa e os camelôs fazem preço.
    Não me conformo, não é somente o negro que sofre não, o diferente incomoda muito.
    Bjsssssssssssss lindo.

    ResponderExcluir
  7. Me-ni-no...

    Eu não vou sumir não! Sempre que me sentir bem
    (na medida do possível farei minhas visitas ao meu queridos) só estou mesmo desanimada em postar...e num momento de muita turbulência emocional...


    Beijos

    PS.. Add vc no orkut, só que meu twitter eu não me lembro a senha :(....


    Beijosssssssssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  8. Oi Vagner, tudo bom?
    Menino, vou te dizer uma coisa...pra mim esse dia, essa comemoraçao é desnecessária..eu explico: somos todos iguais, não existe cor de pele para ser um ser humano respeitado. Pra mim deveria ter o dia da Consciência humana ...eu até estaria dentro, pois viemos todos de um lugar e iremos todos para o mesmo lugar então, eu tenho pena de quem se acha melhor que o outro...somos todos filhos de um Deus que nos ama igual, sem excessão, então, que as pessoas parem e pensem a respeito, para evitarmos ter que passar por certos constrangimentos...você não acha?
    Querido que você tenha uma linda e abençoada semana e obg pelo seu carinho lá no meu cantinho..volte mais vezes é muito querido por lá
    Marcia

    ResponderExcluir
  9. Vagner,

    De fato, durante todo ano, nós, negros, somos vítimas veladas ou explícitas de preconceitos. Mas as vítimas e os detratores se junta hipocritamente no dia 20 de novembro para celebrar uma falsa igualdade. Ao apagar as luzes do dia 20 de novembro, tudo volta ao (a)normal.

    Abraços, Vagner. Uma ótima semana pra você.

    ResponderExcluir

Deixe um pouco de você aqui.