sexta-feira, 17 de setembro de 2010

"Perfeição"...

...Talvez seja umas das letras de Renato Russo que eu aplaudo de pé.
Todas as letras dele são ótimas, mas essa... Essa tem um quê de ironia com a situação social que me arrepia.
Ele diz tudo que eu queria dizer com um deboche chaqualhador pra trazer de volta à realidade.
Estava ouvindo essa música agora e resolvi postar a letra dela. Aí vai...


PERFEIÇÃO [LEGIÃO URBANA]

Vamos celebrar
A estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja
De assassinos
Covardes, estupradores
E ladrões...

Vamos celebrar
A estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso estado que não é nação...

Celebrar a juventude sem escolas
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião...

Vamos celebrar Eros e Thanatos
Persephone e Hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade...

Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta
De hospitais...

Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras
E seqüestros...

Nosso castelo
De cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda a hipocrisia
E toda a afetação
Todo roubo e toda indiferença
Vamos celebrar epidemias
É a festa da torcida campeã...

Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar o coração...

Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado
De absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal
Vamos cantar juntos
O hino nacional
A lágrima é verdadeira
Vamos celebrar nossa saudade
Comemorar a nossa solidão...

Vamos festejar a inveja
A intolerância
A incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente
Que trabalhou honestamente
A vida inteira
E agora não tem mais
Direito a nada...

Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta
De bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo isto
Com festa, velório e caixão
Tá tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou
Essa canção...

Venha!
Meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão
Venha!
O amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça
Venha!
Que o que vem é Perfeição!...

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Deu no jornal...


A juventude tem um certo tino pra fazer babaquice [tiozão falando, rsrs]! O novo modismo que está em voga entre eles é o: "vodka eyeballing". A nova mania que começou nos EUA [#tinhaqueser]e ganhou adeptos na europa, consiste no ato de aplicar vodka nos olhos, como se fosse colírio. Diz o mito que a ação aumenta a sensação de embriaguez [mas, no olho???].
Aqui no Brasil a modalidade também tem seus adeptos e já fez vítimas: Um rapaz de 21 anos pereu 95% da visão. Vai operar, mas levará sequelas pro resto da vida, garante o médico.
Na internet, mais de 800 vídeos de "vodka eyeballing" já foram postados. Comunidades na página de relacionamentos Facebook também discutem o assunto.
Médicos oftalmologistas garantem que a estúpida brincadeira pode acarretar danos seríssimos à visão.
Tico Santa Cruz, vocalista da banda Detonautas, tem um vídeo onde experimenta a modalidade imbecil. É de se estranhar essa atitude de um cara engajado em causas sociais e tão influente como ele.

sábado, 11 de setembro de 2010

Contemplação...


Lá fora o clima está frio, e o céu está completamente gris. Apesar da aparente tranquilidade que o clima apresenta, a correria é incessante.
Olho pela janela e meus olhos se erguem em direção as montanhas... Sinto quietude. Silêncio. Nuvens em diferentes tons de cinza cruzam o cume das montanhas, numa marcha silenciosa. É a marcha das nuvens. Junto com elas, as aves voam em círculos e ganham altura. É incrível como automaticamente me desconecto do frenesi daqui de baixo e experimento toda a tranquilidade que há lá em cima. O som dos carros, buzinas, falatórios... Tudo vai sumindo. Vai se evanescendo num efeito degradê, e no topo imponente dos montes encontro paz e traquilidade.
Lá de cima, vejo que a correria aqui em baixo prosegue, mas em câmera lenta... Não há som e também não há velocidade.
As aves continuam a voar em círculos, e quando ganham altura, seguem junto com as nuvens pra onde o vento sopra. Invejo o voo delas. Queria ter asas... Pra que nos momentos de aflição... Eu pudesse voar em círculos, ganhar altura e ver que a aflição, vista lá de cima, é muda e imóvel. Mas aprendi que posso fazer isso só de olhar e contemplar as alturas.

Em momentos assim, tenho o hábito de puxar uma conversa íntima com Deus. Fiz uma oração e senti uma paz... Como se fosse uma resposta de que tudo, certamente, iria correr bem... E correu.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Em tempos de política...


É tempo de eleições e foi dada a largada pra corrida dos postulantes à presidência do Brasil.

Acompanho algumas vezes a propaganda eleitoral 'chatuita', mas somente a parte dos presidenciáveis.

Eu não acompanho muito a política... Pra falar a verdade, sou cético em relação aos partidos e seus candidatos. Mas em alguns momentos paro diante da TV pra ver como andam as coisas na propaganda eleitoral.

Analisando cada candidato, chego a conclusão de que, particularmente, acho Dilma Rousseff um tanto perigosa.

Lembro do caso que houve entre ela e Lina Vieira, ex-secretária da Receita Federal.

Vejo este caso da seguinte forma: a ex-secretária foi extremamente inocente quando foi confrontada com perguntas embaraçosas. Mordeu a isca e soltou tudo no ventilador. Por sua vez, Dilma se defende e nega que tenha se encontrado com ela. O presidente, em viajem, fica sabendo do acontecido e diz que Dilma não tem nada a ver com as alegações feitas por Lina vieira.

Resultado: sem condições de desfazer a titica que cometeu, a corda arrebentou do lado mais fraco, Lina Vieira perdeu o emprego, o caso se evanesceu e tudo virou poeira. Nada que manchasse a candidatura de Dilma. Assim eles pensam.

Dilma vem de carona nos feitos de Lula e promete dar continuidade nos projetos de governo de seu “camarada”.

Ter Lula como cabo eleitoral, ter mais tempo em seu programa político e a aprovação recorde por parte de PT são os pontos fortes da candidata que afirma que vai ser a “presidenta” - exatamente dessa forma – do Brasil e usa o jargão de ‘mãe dos brasileiros’.

Sua fraqueza consiste em depender do presidente Lula para obtenção de votos, inexperiência em embates eleitorais e é muito desconexa em seus discursos.

Já o candidato José Serra tem o desafia do provar ao eleitor que sua trajetória e experiência política não vão deixar que “erre” enquanto presidente.

Serra conta com sua experiência política, que é muito densa; é um excelente administrador e tem sua imagem ligada a melhorias na área da saúde.

José Serra ainda vai cortar um dobrado por fazer oposição a um governo muito bem avaliado. Sua aliança com FHC não é favorável – as pesquisas indicam – e seu partido, PSDB, é visto como o partido que favorece a burguesia.

Nessa lona circense eleitoral figuram três atrações que aspiram ao cargo a ser logrado.

Na verdade, são dois pesos pesados e um coadjuvante, ou zebra. Nesse papel, figura a candidata Marina Silva, do PV.

Talvez a Marina seja a única, dos três, por quem eu tenho simpatia.

É uma mulher com uma trajetória de vida muitíssimo interessante, fala de um jeito invejável e muito bem articulado.

O que eu gosto na Marina, é que ela não permite ser cortada antes das conclusões de suas respostas e o fato dela não se enrolar com seus discursos e respostas longas. De fato, fala muito bem, de forma leve e solta.

Marina tem uma plataforma de campanha baseada no desenvolvimento sustentável - assunto vigente em todo o mundo e que ganhará muita força ao longo dos anos -, mas tem poucas propostas para além da área ambiental e tem pouquíssimo tempo em seu horário para apresentar suas idéias com mais amplitude.

O ponto forte é que Marina é fortemente aceita entre os jovens, sua trajetória de vida é forte e muito emocional e ainda, sua conduta política está baseada na ética.

Durante a propaganda eleitoral, acho que os candidatos deveriam gastar seu tempo clarificando mais suas idéias e propostas para seu próximo governo. Mas está tudo voltando ao marketing de ataques aos candidatos da oposição.

Enfim, a corrida pelos votos começou.

Acredito, muito fortemente, que o vencedor será José Serra, uma vez que Marina –muito provavelmente – irá só figurar e ainda, muito dificilmente o PT irá se manter no poder por doze anos – oito anos de Lula somado aos 4 anos de Dilma, caso ganhe as eleições.

Aqui, no Brasil, no tempo em que vivemos hoje o povo sabe que quatro é bom, oito é muito e doze [13 mais uma vez] é demais.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Libre!!!!



Não gosto muito quando pessoas me vêm com ideias do tipo: "você tem que criar raízes". Nunca concordei com esse termo. Acredito que caminho de acordo com a visão de uma nova horizontalidade, e não de um poder - seja lá qual ele for - verticalizado.
Minha raíz está em Deus, já meus ramos [que são uma analogia do meu espírito], eles se alastram numa proporção horizontal... Me sinto muito mais amplo, mais livre. Já dizia o pensador, Sêneca: "A vida feliz é resultado de um espírito livre". Sendo assim... Liberte-se e viva... Feliz!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

A paixão nacional...



Aaaah, o futebol! Que é paixão nacional, é indiscutível. Acho que só perde pra fissura que brasileiro tem nas tão faladas, cantadas e mostradas bundas das mulheres brasileiras. Esse esporte de contato, tão másculo, talvez seja o único momento em que homens de corpos suados permitem tanta aproximação corporal... No Vale-Tudo também, mas aí é outra história.
Se mulheres dizem que comer chocolate é tão relaxante quanto ter relações sexuais, pra nós, homens, a pelada de final de semana faz a transa matinal ficar pra depois.
É no momento máaagico do futebol que vemos os homens mais ternos com seu semelhante durante as comemorações de gols. Alguns fazem declaração de amor do tipo:"Eu te amo cara!", outros dão aquele... hã... tapinha nas nádegas do companheiro. Tudo mantendo a masculinidade, é lcaro! E o que dizer das falas durante o jogo: "Enfia nas costas!!" ou ainda: "Tá enfiando muito devagar!!" ou... "Mete a bola com mais força por trás!" Frases suspeitas, né? Eu sei. Mas não ouse falar que somos maricas. Futebol é pra homem... Até pra você que é mulher. rs

Algumas mulheres, durante a copa, revelaram que gostam quando os jogadores caem. Isso por causa do calção que deixa as pernas à mostra. Algumas dizem que vão ao delíiirio.
Separei algumas fotos um tanto... hã... inusitadas que revelam atos nem tãaao másculos assim.

Papai e mamãe



Alongamento ou Kama Sutra???


Isso aqui é Rugby: Definitivamente o objetivo era não manter os olhos na bola


Essa também é de Rugby: pior que a imagem em si é a imagem que teve o adversário que está ao chão.


Soltando a franga


Uma patoladinha... de leve


Esse é o momento em que o árbitro "ferra", literalmente, com seu time


Na Argentina sempre vai ser mais gostoso!


E por fim... O amor é liiindo!


Gente, mudei o nome do blog. Senti a necessidade de mudar pra um nome novo e que seja mais leve. O estilo continua o mesmo, só o nome mudou, okay?

Beijo no coração de todos.

sábado, 7 de agosto de 2010

Ôh, vida hi-tech!



E-book... Coisinha bacana, né verdade?
Gostei de verdade do aparato, e também é verdade que eu nunca usei. Mas já deu pra notar que o trocinho é bacana e funcional. É uma revolução na literatura... O que me leva a pergunta: O que será do papel, ou ainda, do livro impresso?
A revolução é boa, mas nada se compara com o prazer de ter um livro impresso nas mãos.
O cheiro das páginas, acompanhar o envelhecer das mesmas, a textura do papel...
Assisti uma matéria que falava sobre o livrinho hi-tech e fiquei viajando sobre como a vida vai perdendo seu orgânica com tanta [R]evolução.
Hoje, há evolução em tudo que se possa imaginar e isso pode levar à uma vida meio sem sal, insossa. Dia desses, assistindo um seriado que gosto muito: The Big Bang Theory, um dos personagens da série estava entediado e não queria sair pra uma festa, prefiria ficar conectado ao computador. O outro personagem diz: “veja quanta vida o mundo tem lá fora!” ao que o outro respondeu: “Se há tanta vida lá fora, por que se gasta tanto em tecnologia pra nos manter do ladod e dentro?” É uma verdade. Tão logo não iremos mais dirigir [os carros já estacionam, trocam de marcha, regulam espelhos... tudo isso sozinhos]. Caminhar, correr ou pra ticar atividades físicas ao ar livre, interagindo com a natureza? Em que mundo você vive?! O canal PoliShop é lotado de parafernalhas hi-tech’s pra que você possa se exercitar dentro de casa, na sala do escritório; já inventaram chuteiras que se regulam ao tipo de gramado sozinhas, bolas de futebol indomáveis [as Jabulanis], identificação nas digitais, cães e gatos robôs, inteligência artificial, aparelhos celulares que fazem de um tudo[já não basta servir pra falar]... E por aí vai a cybervida ganhando espaço.

Passamos pelas fases da revolução industrial: máquinas movidas por vapor, movidas por combustíveis fósseis e por fim, máquinas movidas por eletricidade. Hoje vivenciamos uma quarta fase dessa revolução: Robótica.
Passamos pela modernidade, pós-modernidade e hoje vivemos... hã... “Trans-modernidade”? Ou ainda, “pan-modernidade”?

É óbvio que muitas dessas coisas são muito bem vindas ao ccotidiano de nossas vidas, mas não suporto quando elas querem fazer de tudo que é tátil, artificial. Quem aqui lembra do filme “O Demolidor”, com Stallone e Wesley Snipes? Lembrei de uma cena de sexo entre os personagens de Stallone e Sandra Bullock. Sexo artificial ninguém merece. Pavoroso!
A vida real já possui momentos que dão vontade de cortar os pulsos. O que dizer de quem vive uma vida virtual, hi-tech, robótica e que cada vez mais tira o contato fisico de tudo?

Notinha

Bom, amigos... por esses dias, vou postar aqui como foi a semana no hospital. Esse tempo serviu de muito aprendizado. Foi verdadeiramente uma experiência nova.
Minha mãe foi transferida pra enfermaria. lá é mais limpinho, o banheiro é individual e o mais importante, está perto dela fazer os exames pra poder voltar pra casa. Tá tudo correndo bem. Conto com detalhes na próxima postagem.
Estou devendo visitas, mas vou acertar essa dívida, okay?! rs
Beijo em todos!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Rotina hospitalar, Fernanda "terremoto" e uns pitacos...



Então, meus amigos... Estou ligadaaaço há mais ou menos umas 28 horas sem conseguir pregar o olho. É que essa segunda feira, eu fui ao hospital ficar com minha mãe e dar um descanso pra minha irmã. Imendei tarde, noite, madrugada e o restante desse dia numa rotina hospitalar hiper cansativa. Cheguei faz poucas horas em casa. Estou mooorto de cansaço.
Tenho boas notícias... Madressita está bem. Está se alimentando -com uma certa pirracinha..rs- Está pronta pra voltar pra casa, mas falta fazer um exame, e por isso, a estadia dela no hospital deve se estender no máximo até sexta.
Ela faz uma tremenda falta aqui em casa. Falei com ela que estava sentindo falta das 'brigas' pra ver quem faz o almoço... Preciso dar um pouco mais de valor a esses pequenos momentos, que parecem não significar nada... mas quando há a sombra de uma ameça de não tê-los mais por perto, vai caindo a ficha de que não são tão insignificantes assim.
Hoje, na hora do almoço dela, ela parou de comer e ficou me fitando um bom tempo. eu perguntei: O quê está olhando, Irene? ao que ela respondeu: "Tô namorando meu filhão". Me acariciou e completou: "Você é meu namorado!" Mãe tem mesmo desses momentos mágicos que somente elas sabem ter.
Fiquei muito feliz em ver o trabalho das enfermeiras. Não somente com ela, mas com todos os outros doentes que estão na emergência. É uma pena que o Estado não dê material de trabalho à altura da dedicação delas. Flagrei a indignação nas conversas que elas tinham baixinho na madrugada, enquanto eu tentava cochilar.Só tentava mesmo, pois acordava sempre pra ver como minha mãe estava... Pra ver se a respiraçãod ela estava ofegante ou tranquila.
O pior da angustia passou, graças a Deus e a toda força positiva que vocês enviaram em nome dela. Ela só anda inquieta e um pouco aborrecida por querer voltar logo pra casa, pro cantinho dela.

*Agora, a tal "Terremoto" e o meu pitaco*

Deixa eu falar da Fernanda "Terremoto"... Pra quem não sabe, é mais ma funkeira carioca envolvida com jogador de futebol. Hoje, no hospital, eu estava assistindo uma entrevista que ela deu no programa Balanço Geral, daqui do Rio. O apresentador perguntou se ela tinha aceitado aparecer na mídia pra falar do desentendimento que teve com o jogador do Vasco da Gama pra denunciar ou pra dar um "UP" no trabalho como MC. Ela respondeu que estava ali pra representar todas a s mulheres brasileiras e blá, blá, blá. O que aconteceu com ela e com o jogador? Ela tinha um caso com ele, a esposa dele descobriu e o crico se armou. Ela diz que ele a ameaçou dizendo: "Você viu o que fizeram com a Samúdio? Com você eu faço pior."
Tá, beleza! Se ele ameaçou, tem mesmo que se explicar coma justiça. Mas o que é difícil de engolir, é ofato da onda Eliza Samúdio. Durante a apuração dos fatos, uma loira -também dançarina de funk- se "viu" envolvida com o Goleiro Bruno. Ela visitou o mesmo programa, Balanço Geral, que exibiu um clip muito do escroto dela e mais umas dançarinas dançando a "Dança do Alvo". A Loira atende pela alcunha de "Mulher Alvo".
Como eu disse, essa "Onda Samúdio" deu uma certa alavancada na carreira da loira, e, pra não perder a oportunidade que caiu em seu colo, Fernanda "Terremoto"[essa por sua vez, morena] viu a mina de ouro na ameaça do jogador. Vai ser um tal dela aparecer em um monte de programas pra falar da tal ameaça, divulgar um pouquinho a sua música... Hã?!
Se por um lado ela representa as agredidas mulheres brasileiras, por outro ela as deixa na prateleira como mulher objeto... O que nutre, em alguns homens, o "direito" de agir sobre esses "objetos" como bem quiserem.
"Estou a qui pra representar todas as mulheres brasileiras." Aham...! Prosopopéia flácida pra acalentar bovino, minha filha!


Bom, Quero agradecer a todos os amigos e amigas que passaram e vão passar por aqui demonstrando seu carinho e solidariedade com o meu momento. Repito... Graças a Deus, as orações de vocês e as orações de muitas pessoas que estão de certa forma envolvidas com minha vida e um pouco de minha vida em família... Agradeço o carinho de todos sem citar nomes, pra que ninguém se sinta maior, intermediário ou menor que o outro. Todos vocês são imensuráaaaveis pra mim.

Os amo! Beijos.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Fim de semana angustiante...

Olá, meus queridos amigos...

Agora que tive um tempo de sentar aqui diante do computador pra dar uma notícia que me desesperou por todo esse final de semana.
Minha mãe passou super mal na manhã de sexta feira e precisou ficar internada no hospital. Recordar os gemidos de dor e a aparência com que ela saiu daqui de casa pra ir ao hospital, ainda me assusta e me deixa muito preocupado.
Na sexta, todas as notícias que tive sobre ela eram vagas. Minha irmã mais velha se encarregou de ficar com ela enquanto eu ficava aqui como ponte pra noticiar algo aos meus irmãos. Dormir não foi nada fácil esses dias.
Sábado fui visitá-la, e o estado em que ela estava era muito bom. Foi um alívio. Esse domingo eu voltei pra levar roupas, óculos e a bíblia que ela não consegue ficar sem ler, e pude ver que está beeem melhor.
O quadro em que ela se encontrava era de Animia Profunda. Ainda vai ficar lá, talvez até amanhã[segunda], pra poder realizar uns exames e depois disso, finalmente, volta pra casa.
Ela ficou muito feliz quando levei minha outra irmã pra vê-la. Graaaaças a Deus ela está com reflexos rápidos, se alimentando bem, sorrindo... sofri muito quando a vi sair daqui de casa num estado assustador. Pensei que iria perdê-la.

O final de semana foi angustiante, mas tudo está se resolvendo bem, e em breve, o meu maior xodó vai estar aqui em casa pra animar nossas vidas novamente.

Sei que todos vão desejar melhoras e palavras de consolo e ânimo... Desde já agradeço o carinho de cada um de vocês.

Obrigado. Beijaaaço em todos vocês.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Servir e Proteger???

Uma boa parte de policias parecem não prezar por este lema. Muito pelo conrário... Pra alguns deles pode-se dizer que o lema adequado seria: uso ostensivo, ou abuso, de poder.
Essa semana, assisti no noticiário a morte de um garoto de 14 anos em Fortaleza. Ele estava voltando pra casa, na garupa da moto do pai quando uma patrulha da polícia ordenou que eles parassem. O policial resolveu atirar no pneu da moto, mas acabou acertando o tiro na cabeça do garoto.
Outro caso, que ocorreu na semana passada, foi o que envolve a morte do filho da atriz Cissa Guimarães. Policiais teriam recebido propina pra liberar o carro do rapaz que atropelou e matou o jovem.
Fico pensando até que ponto vai chegar o comportamento caótico da polícia, não só aqui no Rio, mas em todos os estados brasileiros.Fico me perguntando se há aulas de reciclagem, se batem forte na questão da preservação da vida. Acho impossível que, na formação desses homens, uma conversa com um psicólogo dê pra traçar o perfil completo do comportamento desses mesmos homens.
Lembrei de outro caso que aconteceu aqui no Rio, onde policiais perseguiam um carro. No desenrolar da perseguição, fuzilam o carro errado.Lembro que dentro do carro estavam uma mulher e o filhinho dela e, ela aos gritos frenéticos, pedindo que parassem de atirar, pois havia uma criança no carro.

Servir? Proteger? Creio que estamos abandonados à própria sorte. Há bandidos propriamente ditos, que são os que comandam as favelas, e há bandidos fardados. Claro que não culpo de toda a corporação policial. Há de fato homens que tentam realizar seu trabalho de forma digna e decente. Mas essa parcela de brutamontes que se acham os bambambans por estarem fardados e armados acabam manchando toda uma corporação.

O que incomoda muitos de nós, cidadãos, é o fato do corporativismo que protege e deixa muitos desses impunes.
De um lado, traficantes.Do outro lado, policias despreparados e que abusam do poder que têm... No meio? Nós, que ficamos pedindo a Deus pra que coisas tais como eu citei, e muitas outras mais, não atinjam a nós [individualmente e coletivamente] e nem nossos familiares.

sábado, 24 de julho de 2010

Momento besteirol... [pra descontrair a tarde de sábado.]



Borat é deveras sensacional! Quem assistiu ao filme sabe.
A parte que eu mais gosto é do lance "Sungas do Cazaquistão". Que troço é esse?!
Bom, se a tal sunguinha garante sucesso com a mulherada [como vocês podem ver na foto], fiquei até um pouco curioso em fazer o teste... Mas desisti. Atrás deve ser muuuuuito desconfortável.

Bom, um beijo e um ótimo final de semana pra todos.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

A aparência do Mal...


"Abstende-vos de toda aparência do mal"
1 Tessalonicensses 5:22

Passeando por um dos blogs que admiro bastante, o da amiga Elaine Gaspareto (Um pouco de mim), me deparei com um artigo excelente que falava de quando Pedro negou Jesus. Em certo momento da postagem, há uma explicação para Pedro ter negado ao Mestre, com quem caminhava há três anos. O motivo? Se aproximou demais do mal.

A citação bíblica acima, é uma das máximas mais práticas para nos afastarmos das tentações. Mas em muitas das vezes, nos achamos superiores a essas vontades latentes que nos cercam diariamente, e nós teimamos em não saber - ou fingimos não saber - que elas são sempre mais fortes que nós.
O mal se apresenta e se aplica naquilo em que somos mais fracos. É a grande sacada da inteligência de aplicação do mal. Outro ponto que nos deixa vulneráveis é o fato de nos colocarmos expostos a situações que aparentemente não nos causarão mal. Isso por que a soberba que habita em cada ser humano, nos convence de que é algo pequeno, simples e inofencivo. Essa soberba vem acompanhada de uma cegueira, uma vez que o mal é sorrateiro, singelo, silencioso e mortal... Nos tornamos presas fáceis.
Qual o fantasma que se apresneta diante das vontades de cada ser humano? Vícios? Relações extra conjugais? Prazer em disseminar intrigas?
Fantasmas se apresentam inúmeras vezes diante de nossas vontades mais escabrosas, e inúmeras vezes nos tornamos vítimas[conscientes] ao acharmos que vamos reisitir. Nos comportamos como Pedro no epsódio da negação: Nos afastamos -por um segundo que seja- daquilo que acreditamos e cremos, ficamos expostos e quando vemos, negamos tudo o que construímos por meros momentos -inicialmente doces- de um falso prazer.
Costumo dizer que o mal é uma meretriz sensual, sedenta de desejo nas esquinas da vida. Mas qual seria a real aparência do mal? Cada um o pinta do seu jeito.
Um amigo meu diz que levamos dois pitbulls interiores: um pro bem, o outro pro mal. Qual deles você vai alimentar mais?
As tentações são belas, doces ninfas sensuais. Têm fala mansa e convicta. É sorrateira e fica ao redor esperando uma distração da vítima. Quando consugue o bote certo, o veneno corre no sangue agradavelmente, com um sabor doce. Mas o efeito da toxina do mal é rápido e no fim, o sabor é de amargo arrpendimento.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Para uma grande amiga...


É mais ou menos assim: Ela uma gata, eu um cachorro! Mas isso tudo no melhor sentido da frase [se é que tem como ter um bom sentido. rs].
A amizade começou por aqui e ganhou amplitude. Diz ela que foi meu jeito "malandro","marrento" [acordaaa! sou carioca! rs] "galante" que chamou sua atenção. Pode ser, não vou negar e concordo que tenho essa facilidade de atrair as pessaos. Afinal, sou de escorpião [esa é a parte marrenta qeu ela diz, entenderam? hehe].
Conversas horas a fio durante a madrugada nos aproximaram muito. Em muitas dessas conversas, ela só enxergava o pior lado dela e eu, sempre batendo firme na tecla dizendo ao contrário... e pensava: "um dia ela vai acreditar no que eu digo a seu respeito". Ela é uma chata... rs. Principalmente quando se depreciava. Mas, Quintana disse algo mais ou menos assim: "Existem dois tipos de chatos: Os chatos propriamente ditos e os amigos, que são nossos chatos prediletos." A amo e não mudaria e nem pediria que ela mudasse um ínfimo grão se quer do jeito magnifico que ela tem.
Mas minha grande amiga não é chata pra valer. É de um espírito lindo, que adora um mimo. É forte. Sente com intensidade. É uma mãe que tem um amor lindo pelo filho. Tudo que sofre, me conta, e eu adoro ouví-la. Coisa chata mesmo é o fato de morarmos tão distante. É verdadeiramente um saco! Já tivemos brigas ferrenhas,no maior estilo D.R, mas a amizade e carinho que sentimos um pelo outro superou tudo e sem deixar marcas. Nas conversas online, cantamos músicas que gostamos, falamos de tudo, sem o menor pudor. Quando estou mal, ela me levanta e se estou desistente, me apoia. Quando ela está péssima, sou seu psicólogo [um dia eu mando a conta quilométrica pra você, tá?].
Nossa amizade é assim... Uma coisa mágica com tudo que tem direito: as brigas, os amores.
Ela semrpe sabe tocar, de foma carinhosa, o meu coração.Diz coisas que, antes que palavras saiam de minha boca, essas mesmas palavras se perdem, se consomem diante do carinho que ela me faz. Se eu faço bem a ela? Acredito que o correto seria perguntar se nos fazemos bem. Respondo que nosso relacionamento nos deixa ótimos.
Adoro tudo em você e desejo, mesmo com a vida andando aqui e aí, que nossa amizade seja sempre assim: essa coisa loca e viciante.
Sei que seu coração sabe que esse texto é pra você. Te amo.

Estou atrasado pra postagem do dia do amigo, mas o dia dos amigos pode ter sido ontem, será hoje também, amanhã e assim continuamente. É uma data específica pra celebração desse dia? Sim. Mas amizade é atemporal. Não tem prazo de validade. Tem data do início, mas nunca de término. É infindável, sublime, uma forma do cuidado de Deus.
Se algum homem veio a este mundo e não conquistou amigos, não descobriu o tesouro real da vida.
Agradeço a amizade de cada um de vocês que passam por aqui, lêem um pouco de mim e deixam um pouco de vocês.

FELIZ DIA DO AMIGO A TODOS!

terça-feira, 13 de julho de 2010

Falando... [pra não perder o costume]

Nossa! Não sei ao certo, mas segundo as contas que fiz aqui, fiquei uns seis meses sem escreve aqui. Parece fácil voltar e se reintegrar, mas não é. Mas fiquei feliz de ter voltado aqui... Sabe aquela satisfação, seja pequena ou grande, que fica dentro de você quando volta a fazer algo que gostava? E essa satisfação vai crescendo e tomando forma de um prazer de reencontro.

E por falar em reencontro, foi ótimo voltar a visitar antigos amigos que aqui fiz. Ótimo também saber que não fiquei esquecido. Foi maravilhoso receber a visita da Mahria, Luciana, ♥ Fernanda, a maravilhosa Mª do Rosario [você é linda!]... Entre tantos amigos queridos que passaram por aqui. Vou regularizar minhas visitas... Estou devendo tantas.

Bom, o que importa é que a felicidade e o prazer de postar estão voltando. Não quero encarar como obrigação... Que seja leve e suave, como tudo que dá prazer na vida deve ser.
Aprendo sempre quando escrevo aqui e aprendo ainda mais quando leio cada um.
Por aqui, o trabalho e a correria continuam, mas sempre que sobrar um tempo – e sempre sobra – venho aqui pra aliviar a tensão, repartir, compartilhar coisas boas... As más também... RS

Beijo no coração de todos! =D

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Fim do silêncio?


Certamente! Retorno? Volta? Quem sabe?
É bem verdade que fiquei distante durante dias, meses. Nem sei como andam as coisas por aqui. Recentemente, uma amiga reclamava no Orkut que o blogspot está com problemas nos comentários. É verdade que estão sumindo?
Andei tão desconectado desse espaço, das letras, dos amigos que fiz aqui... Mas, sobre tudo, descobri que fiquei desconectado do meu lado literário, por assim dizer. Não sei em que momento, dia ou hora exatos, mas simplesmente parei de escrever. Já contei aqui, em uma de minhas postagens, alguns momentos de “crise literária”... Momentos sem criatividade, horas olhando o papel em branco esperando uma fagulha; um lampejo que de vida e sentido as palavras que se encontram turbulentas na mente. Sabe quando você tem que organizar as ideias pra que tudo flua naturalmente e com sentido?
Dessa vez foi pior. Eu simplesmente perdi o feeling, ou me desencontrei dele... E não o encontrei. Possivelmente, em alguns momentos, nem fiz força pra encontrá-lo. Mas a saudade de postar as ideias sempre foi grande. Lógico que tem toda correria do dia-a-dia: metas, planos, frustrações, planejar tudo novamente, estudos, pesquisas, trabalho... E isso tudo acabou gerando mesmo um desencontro desse espaço e de minha escrita.

Hoje, sentei pra ver se me reencontro. Abri o blog e deu uma saudade enorme de tudo e todos.
Se vão tornar a me visitar? Não sei. É ótimo, mas minhas expectativas não são somente essas. Quando se fica longe por muito tempo é natural que haja uma atenção voltada pra quem atualiza constantemente.
Não posso deixar de agradecer aos amigos que vieram aqui e deixaram seus comentários na última postagem que fiz. A preocupação de saber como estou, se eu irei retornar... Os incentivos que muitos deram pra que eu retornasse. Sou grato

Não sei se essa postagem é um retorno - estou reencontrando o “elo perdido”-. Uma brisa suave de um retorno, talvez. Aos poucos vou me readaptando, conquistando...

quarta-feira, 17 de março de 2010

Frases, palavras e o silêncio de uma amizade...




Um dia desses, estava lendo uma postagem no blog do meu amigo, Valdeir[http://www.ponderantes.com.br/], e a postagem tratava do peso que tem uma palavra.
Qual seria o peso da palavra? E qual seria o peso de uma frase inteira, dita ou escrita sem pensar?
Na minha cabeça, FRASE e PALAVRA têm dois pesos e duas medidas.
Pensando nisso, fui buscar a essência de ambas.

FRASE: Reunião e palavras que formam sentido completo; sentença; locução; expressão.
PALAVRA: Fonema ou grupo de fonemas com uma significação; modo de falar; promessa ou garantia verbal que se dá a alguém

FRASES ou PALAVRAS mal ditas ou escritas machucam, e muito. Mas a FRASE, destinada a ferir, dita irracionalmente tem um cunho agressivo; uma poesia dotada de farpas venenosas que tem como alvo e intenção magoar, ferir, fazer sangrar a alma.

Inúmeras vezes fui - e agora recentemente - alvo de frases desse tipo. E também já proferi diversas. Não sou nenhum santo, e sou o primeiro a atirar-me pedras pra que sirva de exemplo e lição.
PALAVRAS ou FRASES encorpadas de raiva, vingança ou pirraça tem o poder de mudar completamente a maneira com que os relacionamentos - sejam eles amorosos, amigáveis ou profissionais - caminham.
A reconciliação existe. É um fato. Mas ainda assim a coisa muda um tanto de figura. Ainda mais quando são proferidas por reincidentes.

Dizem que uma amizade resiste a mais forte tormenta. Pode até ser verdade. Acredito! Mas os fortes ventos das PALAVRAS e FRASES ditas com irresponsabilidade, arrancam as árvores, telhados, devasta os campos floridos... que para se reconstruir, leva um certo tempo.

segunda-feira, 8 de março de 2010

O dia da desforra

Hoje pela manhã, o noticiário, dentre tantos assuntos, ressaltou o desespero de famílias humildes que perderam parentes, suas casas, sua esperança por causa da torrencial chuva que veio sobre a cidade do Rio de Janeiro, no sábado.
Uma das imagens que mais me deixou triste, foi a de um garoto, que deveria ter uns 9, 10 anos de idade. Estava encostado no carro do corpo de bombeiros e sua esperança, de ver a mãe retirada com vida dos destroços da casa, se esvaía junto com suas lágrimas. Infelizmente a mãe do menino não resistiu e morreu.
A câmera muda de foco e lá está uma mulher com um choro agonizante. No outro canto da tela, um homem leva as mãos até a cabeça - imagino que ele devia ser o provedor de sua casa, de sua família - num ato que demonstrava desespero, desamparo, inutilidade.

O ano de 2010 começou como o ano da fúria. Haiti, Chile,chuvas torrenciais em São Paulo, Rio e em outras tantas localidades.
Essa última tragédia, no Chile, mostrou que é um pais com um Governo preparado pra uma catástrofe que ocorre todos os anos. E aqui? Até quando nosso Governo vai assistir omisso, estático a destruição que as chuvas de verão fazem todos os anos? Um repórter disse que as autoridades não fazem um trabalho sério interditando os acessos às encostas. Acontece que o problema é muito mais do que só interditar os acessos, o problema é a desigualdade disseminada. Os menos favorecidos sofrem e pagam com suas vidas pela omissão de um poder verticalizado, um poder que ludibria a fé do povo, enfia dinheiro na cueca,sapatos, bolsos do paletó, fazem uma oração e dão a descarada, esfarrapada e deslavada desculpa de que, tantos malotes de dinheiro são pra comprar panetone. Nós não queremos panetone, não! O mais doloroso é ouvir o Presidente dizer a seguinte pérola: " As imagens não falam por si só." Acho que pra eles receberem a alcunha de ladrões, as imagens deveriam mostrá-los empunhando alguma arma de fogo. Isso é assunto passado, mas revolta.

Enquanto a cidade é inundada, encostas rolam abaixo invadindo casas e soterrando famílias inteiras, os "bonitões" recebem as notícias em suas mesas fartas, assistem na TV de tela plana boardless e não estão nem aí.
Aproveitem bem, pois Deus é justo e o dia da desforra vai chegar.
Construa sua mansão como um bunker blindado com aço balístico e fechadura de nove dentes. Coloque cães, alarmes, sensores de movimento e alta segurança armada, pois o dia de desforra vai chegar e nada disso vai adiantar. Inundará sua casa, como acontece com nossas ruas. Entrará por sua porta, sua janela como a lama que desce as encostas e derruba as casas de alvenaria frágil e parede madeirite.

No silêncio de sua omissão, zombaremos de toda sua arrogância

quinta-feira, 4 de março de 2010

Um breve momento...


Lá estava ela, desfilando com seu andar, lançando olhares maliciosos que lhe incriminavam e imputavam culpa os ocultos desejos.
Ela tinha um sorriso sádico, displicente... Com um certo ar de "desvenda-me".

Como eu a quis naquele breve momento...

Andava e seduzia. Dançava e se fazia ser desejada. Tudo isso com o mais perfeito e sincronizado cinismo.
Todos os homens direcionavam olhares à ela, mas o dela atravessava-os e se encontrava com o meu.
Olhava por cima dos ombros, com os vastos cabelos lhe ocultando a face desejosa e sarcástica, dando ainda mais mistério ao clima que pairava no ar.

Como eu a quis naquele momento...

Subia e descia as escadas na mais sensual malemolência. Sabia que estava sendo olhada, observada. Pausava o subir e se virava segurando o taça com bebida e uma das mãos na cintura.
Sua sensualidade era tátil e eu a quis ali, na escada, na frente de todos.
Podia despi-la ali mesmo. Tomar a taça de sua mão e bebê-la num só gole dando corpo e atos as minhas mais torpes vontades.
Beijaria sua boca de modo a matar a sede. Experimentaria em seus lábios proibidos as mais loucas nuances: Medo e coragem; força e fraqueza; desespero e calma; desejo momentâneo e paixão desmedida. Provaria o gosto de sua boca e o frescor da invejável pele fresca que veste inteiro seu corpo nu.
Seus lábios de beijos doces não me pertenciam, mesmo assim se fariam compartidos. Achei justiça ante me desejo proibido, mas aceitaria de bom grado a sentença da luxúria de meu pecado.

Agora, ela dança... transpira... transpira desejo...

... E como eu a quero neste breve momento

Depois da estia....


Meus amigos. Meus amores... A saudade de vocês foi tamanha e eu não resisti ficar longe por mais tempo.
Tô de volta e com cara nova. Graças ao meu anjo de candura, Silvia Cristina.
Foi ela quem bolou esse novo template "nublado", bem inspirada nos dia em que adoro. Valeu, amor!

Me ausentei por tanto tempo e nem sei se deixei saudades, mas estou de volta e espero que vocês ainda estejam por aqui.
Tô chegando, e vou visitá-los... Estou com muitas saudades.

Beijos e mais beijos, meus amigos. =D